Era fim de 2006, ano de descobertas, amor de adolescente, coração a mil querendo abraçar o mundo. Eis que a gente encontra um abraço tão gostoso, mas tão gostoso que outros abraços não são mais necessários. O tempo vai passando, ele não para, o amor também não, ele cresce, vai aumentando, e chega uma hora que a benção do Pai é o único caminho por onde esse amor deseja seguir. Pra se tornar abençoado eis que a decisão mais sábia é tomada: vamos nos casar. Sim, nos tornar apenas um, entender a plenitude do amor e celebrar a vontade de viver um para o outro por todo o sempre. É tempo de alegria, de reflexão, de realização de sonhos. E quando esse sonho não cabe mais no peito ele se traduz em momentos como esse, onde o amor é o personagem principal dessa história que está apenas começando. 

PABLO

CRIS